Dores de cabeça em crises de sinusite

29 nov, 2021

|

por: Família Respira

sinusite é conhecida por ser uma inflamação na região frontal da face, conhecida como seios faciais, devido ao acúmulo de secreções na mucosa que se localiza entre olhos, nariz e bochechas¹. A condição pode ser desencadeada por crises alérgicas, infecções e desvio de septo nasal. Dores de cabeça em crises de sinusite são comuns e vamos falar sobre elas no artigo de hoje do blog. Vamos lá?

O que é dor de cabeça e quais os seus tipos?

A dor de cabeça, também conhecida como cefaleia, é o incômodo em qualquer região da cabeça. Isso inclui também as vias aéreas, e por isso, é um dos sintomas apresentados em pacientes com sinusite. Antes de aprofundarmos nas dores de cabeça causadas pela sinusite, temos ao menos 3 tipos primários de dores que merecem atenção, dentre os quase 200 tipos já identificados:

  • Enxaqueca: a frequência desse tipo de dor de cabeça pode variar de acordo com o paciente, mas o que pode identificar uma enxaqueca é uma dor que é sentida em metade da cabeça e há piora em caso de esforço, podendo trazer ainda enjoo ou desconforto a luz e sons, podendo persistir por até 72h;
  • Tensional: é o tipo mais comum e isso que faz com que o paciente não busque auxílio clínico, a queixa envolve a descrição como aperto na região craniana, geralmente na região lateral da testa ou em toda sua extensão. Possui grau leve a moderado de dor;
  • Cefaleia em salvas: é bastante rara, mas é descrita como uma dor intensa na região da órbita, trazendo ainda congestão nasal, queda da pálpebra e vermelhidão, quando não tratada pode persistir por até 3h. Vale ressaltar que pela localização da dor pode ser característica também como sintoma da sinusite².

Sintomas e tratamentos da sinusite

Além da obstrução nasal e presença de secreção nasal amarelada, a dor na região frontal da cabeça é um sintoma que o paciente pode sentir, que pode ter sido desencadeada por fatores como poeira. A extensão pode variar de acordo com a quantidade de inflamação e a falta de tratamento. Outros fatores observados são redução de olfato e tosse. Essas condições podem ser medicadas, mas primeiro, é preciso um diagnóstico: o médico especialista é o otorrinolaringologista, que atuará com alguns exames para entender primeiramente a abrangência da inflamação e iniciar o tratamento mais adequado. O teste de alergia também é utilizado após o primeiro diagnóstico, pois o tratamento neste caso deve ser realizado com uma abordagem diferente³.

Mitos e verdades sobre dores de cabeça e crises de sinusite

Dizem que a sinusite não tem cura, mas esse é um dos maiores mitos. Isso porque o que determina a cura é o tamanho da região afetada e o tratamento realizado.³ Apenas um número reduzido de pessoas tem sinusite crônica, ou seja, sintomas todos os dias por mais de 3 meses. E isto depende tanto do tratamento realizado, quanto fatores alérgicos e imunológicos individuais.

A gripe ou o clima mais frio podem causar uma piora no quadro e causar ainda mais dores de cabeça, podendo, inclusive, intensificar essas dores e fazer com que o paciente precise de tratamento medicamentoso que reduz a inflamação da mucosa e causa alívio.⁴

A associação da rinite com a sinusite também é uma verdade, por ambas as condições afetarem a mesma região. Embora as condições possam ocorrer simultaneamente, nem todos que têm rinite têm sinusite e vice-versa. É natural que no momento de manifestação da rinite, devido à constipação nasal, a pressão da região e as dores possam aumentar.⁵⁻⁶

Como prevenir as dores de cabeça causadas pela sinusite?

Pequenos hábitos podem fazer grande diferença em nossa vida, como a lavagem nasal diária. O hábito da limpeza nasal diária pode reduzir em até 40% a incidência de gripes, resfriados e sinusites⁷. Salesp auxilia nos sintomas de gripes, resfriados, rinites e sinusites⁷⁻⁹ e Maxidrate hidrata e protege a mucosa nasal com ação prolongada.¹⁰

Acesse a página do Instagram da Família Respira e tenha acesso a diversos conteúdos sobre a saúde respiratória.

Fontes

  1. https://www.aborlccf.org.br/secao_detalhes.asp?s=51&id=422
  2. https://sbcefaleia.com.br/noticias.php?id=192
  3. https://www.aborlccf.org.br/imageBank/CONSENSO-RINOSSINUSITES-EVIDENCIAS-E-EXPERIENCIAS.PDF
  4. https://www.aborlccf.org.br/secao_detalhes.asp?s=51&id=
  5. https://www.aborlccf.org.br/imageBank/consenso-Rinite-4-01-11-2017.pdf
  6. https://www.aborlccf.org.br/secao_detalhes.asp?s=51&id=422
  7. Wang YH, Yang CP, Ku MS, Sun HL, Lue KH. Efficacy of nasal irrigation in the treatment of acute sinusitis in children. Int J Pediatr Otorhinolaryngol. 2009;73(12):1696-701.
  8. Valero A, Navarro AM, Del Cuvillo A, Alobid I, Benito JR, Colás C, et al. Position paper on nasal obstruction: evaluation and treatment. J Investig Allergol Clin Immunol. 2018;28(2):67-90.
  9. Chirico G, Beccagutti F. Nasal obstruction in neonates and infants. Minerva Pediatr. 2010;62(5):499-505.
  10. Maxidrate®. São Paulo: Libbs Farmacêutica Ltda. Bula do medicamento.