Tudo sobre a lavagem nasal em bebês

26 fev, 2021

|

por: Família Respira

A lavagem nasal tem vários benefícios para todas as pessoas, não importa a idade. Ajuda a prevenir gripes, resfriados e outras doenças como rinite e sinusite.² Também auxilia na manutenção do conforto respiratório, ajudando a evitar o nariz entupido e o ressecamento nasal.¹ Mas quando se trata dos bebês, mães e pais costumam ter muitas dúvidas sobre a lavagem nasal logo no início da vida. Por isso, resolvemos preparar esse texto para mostrar que a lavagem nasal em bebês, desde cedo, traz benefícios imprescindíveis para a manutenção da saúde dos pequenos.

Amamentação saudável

Os bebês respiram quase exclusivamente pelo nariz até os 2 meses de idade3. Como são pequenos e dependentes, passam muito tempo deitados e não conseguem assoar o nariz, o que pode fazer com que a obstrução nasal (nariz entupido) seja uma ameaça frequente. Com o nariz trancado, acabam respirando pela boca, o que atrapalha o momento da amamentação e pode, inclusive, prejudicar a respiração do bebê e trazer problemas mais graves4. Lavar o nariz do bebê ajuda a evitar essa obstrução nasal3, o que traz mais conforto no momento da amamentação e, é claro, deixa a mamãe mais tranquila .

Melhora na qualidade do sono e no humor

Como a respiração nasal é quase exclusiva para bebês de até dois meses de idade, o nariz entupido pode trazer um desconforto respiratório muito grande para o recém-nascido, o que afeta a qualidade do sono.4Com o sono comprometido, o bebê pode apresentar alta irritabilidade durante o dia.4 A lavagem nasal ajuda a evitar esse caso ao auxiliar na prevenção da obstrução nasal.3

Prevenção de infecções respiratórias

A lavagem nasal diária, realizada ao menos duas vezes ao dia, ajuda a evitar infecções respiratórias como gripes e resfriados2, que podem ser mais agressivas em bebês, já que estão em fase de formação do sistema imunológico (o sistema imunológico não está totalmente formado até os 4 anos de idade5). A lavagem nasal promove uma limpeza por arraste, que remove as impurezas do ar inaladas. Isso ajuda a remover agentes agressores que poderiam desencadear uma infecção ou doença respiratória.2

Esperamos ter te convencido que lavar o nariz dos pequenos é muito importante, e deve fazer parte da rotina de cuidados com os bebês. Lembrando que o cloreto de sódio a 0,9% é o mais indicado para a lavagem nasal, pois não causa ardência, queimação nem irritação. A fórmula deve ser livre de conservantes.

Aproveitamos para tirar duas dúvidas muito frequentes sobre a lavagem nasal dos bebês:

Qual é a idade mínima para iniciar a lavagem nasal?

Não existe uma idade mínima, o indicado é que a lavagem nasal seja feita desde os meses iniciais de vida do bebê. Porém, alguns cuidados podem ser tomados na escolha do dispositivo da lavagem nasal, já que o nariz dos bebês é delicado. É interessante escolher um dispositivo que possa ser aplicado em todas as direções, o que reduz o desconforto na aplicação.

Passo a passo da lavagem nasal dos bebês:

  1. Mantenha a criança sentada ou inclinada com apoio nas costas.
  2. Retire a tampa e insira delicadamente a extremidade da válvula na narina.
  3. Ao introduzir o bico do frasco na narina, mantenha o frasco a uma inclinação de cerca de 30° em relação ao solo, com o bico voltado para o canto do olho ou fundo do nariz. Evite aplicar o soro no septo nasal (divisão entre ambas as narinas).
  4. Aplique o produto na narina direita e, depois, na narina esquerda (2 a 4 puffs)
  5. Limpe a válvula aplicadora após a utilização com um lenço de papel ou um pano seco, tampe o frasco e guarde-o na embalagem original.

Repita o processo antes das mamadas e de dormir.

Leia os outros conteúdos aqui do blog Família Respira para saber mais sobre a saúde respiratória e não esqueça de seguir o nosso Instagram.

 

Referências

1) Mion O, Mello Junior JF. O uso das soluções salinas no nariz e seios paranasais. RBM-ORL. 2007;2(3):77-83. 2) Sakano E, Sarinho ESC, Cruz AA, et al. IV Consenso Brasileiro sobre Rinite _ Atualização em rinite alérgica. Braz J Otorhinolaryngol. 2018 Jan/Feb;84(1) **3) **Chirico G, Quartarone G, Mallefer P. Nasal congestion in infants and children: a literature review on efficacy and safety of nonpharmacological treatments. Minerva Pediatr. 2014;66: 549-57. 4) Morales TM, Boett LMA. Obstrução nasal e suas repercussões. [internet]. In: Sih T, Chinski A, Eavey R. II Manual de Otorrinolaringologia Pediátrica da IAPO – Interamerican Association of Pediatric Otorhinolaryngology. Disponível em: http://www.iapo.org.br/manuals/05-3.pdf. Acesso em: maio 2020. 5) Ygberg S, Nilsson A. The developing immune system – from foetus to toddler. Acta Paediatr. 2012 Feb;101(2):120-7. doi: 10.1111/j.1651-2227.2011.02494.x. Epub 2011 Nov 10. PMID: 22003882.